Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

VERDADES OU COINCIDÊNCIAS?

Pegando ainda nestes temas esotéricos e afins, do meu blog anterior e do blog da minha amiga C., vou contar algumas histórias pessoais.

Começo com as "bruxas".

Quando o meu irmão era pequeno, tinha uns "desmaios" que nunca ninguém soube explicar o porquê. Após resmas de exames médicos sem obter qualquer conclusão, a minha mãe, nada crente em bruxas, lá acabou por levar o bebé à bruxa.

Eu, teenager inconsciente, acompanhei a minha mãe na expectativa de ver algo extraordinário pois a tal bruxa tinha fama de ser "boa".

Entrámos para um sítio que parecia uma cozinha (se bem me lembro). Mandou-nos sentar. Eu sentei-me num banco e cruzei as pernas. Levei logo um grito da bruixa para descruzar as pernas.

Começou, então, a nossa sessão. Para entrar em contacto com o além desatou aos arrotos. Depois de já estar no "ponto ideal" começou a falar e disse as coisas mais absurdas e que em nada batia certo. Já não me lembro exactamente do que ela disse mas tudo era invenção pura porque as pessoas que ela falou e os acontecimentos que descreveu não aconteceram. Pelo menos connosco nem ne minha família. Lá pagámos e viémos embora. A minha mãe furiosa porque a bruxa só tinha dito mentiras e ela tinha largado o dinheiro.

Depois fomos a um senhor, que não era propriamente bruxo, com o dom da vidência através do nome. Este senhor era muito velhote já na altura e apenas nos pedia o nome.

Nós dizíamos o nome completo e ele a partir daí benzia-nos contra todos os males e receitava-nos uns chazinhos para as nossas maleitas. Eu aqui fui consultada também já não sei por que motivo... se calhar más notas na escola... lol! Mas este até disse umas coisas acertadas e interessantes. Coincidência ou vidência? Não sei...

O negócio aqui era a compra dos chás e mezinhas na loja do filho. Tudo produtos naturais.

Para terminar, revelo que havia uma "bruxa" na família de uma prima minha. Muito arroto dava ela e parece que era uma óptima actriz. Ainda hoje a temem. Eu tou safa porque ela gosta muito de mim. Eheheheh!

Bom, só para dizer que, neste momento, já se reformou pois ela tinha o dom de curar as maleitas dos outros a troco de dinheiro mas não teve o dom de curar as suas.

À conta da miséria dos outros, comprou ela uma casa na Costa da Caparica, uma casa aqui, uma no alentejo e não sei se as casa dos filhos.

Houve uma ano que, no colombo, fizeram uma feira esotérica. A minha amiga L. quis ir a uma quiromante. Largou 1 pipa de massa. Foi ela mais duas primas, tudo desesperado para arranjar homem. O mais engraçado é que a quiromante interpretou as mãos todas da mesma maneira. Todas iam ter uma bela vida e iam casar com homens altamente bem na vida: uma era médico, outro engenheiro e outro advogado. Sei que nenhuma delas está com ninguém assim. A minha amiga L., que se afastou de mim, talvez porque eu tenho o N. e ela ao fim ao cabo não tem ninguém, namorou algum tempo o maior enrgúmeno ao cimo da terra, que era prof. universitário e que lhe chamava nomes e dizia que a odiava. Não foi este o perfil predito pela quiromante.

Reforço, novamente, a minha ideia: qualquer dia monto uma barraquinha e viro bruxa também.

Tenho mais coisas para contar mas deixo para amanhã. São mais... ARREPIANTES!